Abdominoplastia ajuda a garantir o abdômen ideal quando exercícios e dieta não funcionam

Ter o abdômen ideal é, às vezes, uma missão que não pode ser alcançada apenas com a prática de exercícios físicos e o controle de peso, por exemplo. Pessoas com peso corporal e proporções normais podem desenvolver um abdômen protruído, frouxo e flácido. A alternativa, nesses casos, é a realização de uma abdominoplastia, procedimento que remove o excesso de gordura e de pele, restaurando os músculos enfraquecidos ou separados e garantindo um perfil abdominal suave e tonificado.

Gravidez, envelhecimento, grandes oscilações de peso, hereditariedade e cirurgia pélvica estão entre as causas mais comuns para que a região do abdômen tenha as características que demandam uma abdominoplastia. Tal procedimento tem resultados tecnicamente permanentes, mas o resultado do mesmo pode diminuir graças a uma futura gravidez ou quando o (a) paciente em questão pretende perder peso. Portanto, nesses casos, é indicado que a abdominoplastia seja postergada.

É fundamental que a pessoa que busca a abdominoplastia relate ao profissional que realizará o procedimento todo e qualquer detalhe sobre seu histórico médico, além de responder todos os questionamentos do cirurgião em questão durante as consultas que vão anteceder a cirurgia. Consultas que servirão para que o médico explique, por exemplo, o alcance da abdominoplastia.

A anestesia escolhida dependerá de avaliação, podendo ser o bloqueio peridural com sedação ou anestesia geral. O tempo de internação para a realização da abdominoplastia é de cerca de 24h, sendo que o procedimento e si tem duração entre 2h e 3h. Em um primeiro momento, é realizada uma incisão horizontal na área entre a linha do púbis e o umbigo. Através de tal incisão, os músculos abdominais enfraquecidos são reparados e suturados. Já o excesso de gordura, tecidos e pele são removidos. Existe a possibilidade de ser feita uma segunda incisão, em torno do umbigo, para a remoção do excesso de pele na parte superior do abdômen.

As incisões são fechadas através de suturas, adesivos de pele ou fitas. Logo após o procedimento, o paciente não poderá ficar totalmente na posição vertical até a cicatrização interna, o que pode amenizar os resultados finais da cirurgia. A tendência é que em até duas semanas, o paciente possa ficar em pé sem restrições e, com isso, tenha a condição de perceber com nitidez o resultado da abdominoplastia.

Após a cirurgia, o paciente deixará o centro cirúrgico com um dreno posicionado nos pelos pubianos e um modelador abdominal. É recomendável não dirigir durante três semanas e evitar exercícios físicos por dois meses, mesmo período em que deve se evitar exposição ao sol. Uma recomendação fundamental é caminhar e mobilizar os membros inferiores para evitar a trombose venosa.

Antes de pensar em uma cirurgia plástica para fins de estética ou saúde é fundamental buscar um profissional licenciado pelo conselho de medicina local e que faça parte da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, a SBCP, para qualquer procedimento. Clique aqui e tenha acesso aos cirurgiões cadastrados.

Pesquise sobre o cirurgião escolhido e, ao iniciar o processo que culminará com a intervenção, não omita nenhuma informação sobre seu histórico médico, além de elucidar todas as dúvidas sobre os riscos e o alcance do procedimento. Acesse e saiba quais são os quatro passos para uma cirurgia plástica segura.

Outras Notícias