Cirurgia Plástica e gravidez – o que pode e o que não pode

Cirurgia Plástica e gravidez. Para muitas pacientes, a cirurgia plástica é o caminho ideal para melhorar as formas do seu corpo, alterando formas e medidas, perdendo peso, entre outras especialidades. A busca por um tratamento possui diversos fatores motivadores, desde a insatisfação com o próprio corpo, problemas de saúde, até a necessidade de melhorar a autoestima para viver melhor. Sobre este último assunto, é bastante comum que mulheres passem a ficar insatisfeitas com a imagem no espelho durante ou após uma gravidez.

Sendo assim, é comum que mulheres cheguem aos consultórios médicos em busca de procedimentos que deem fim a estes incômodos. O que a maioria não sabe é que a gravidez é um fator limitante em várias técnicas e tratamentos, alterando profundamente o seu corpo, às vezes de maneira permanente. Esta combinação de falta de confiança com mudanças drásticas no visual podem causar problemas graves. Por isso, é importante saber como a cirurgia plástica pode ser utilizada em relação à gravidez.

É possível fazer uma cirurgia plástica durante a gravidez?

Esta é uma pergunta bastante comum e que possui uma resposta bastante prática: a não ser que o procedimento cirúrgico seja urgente, é ideal aguardar para realizar a operação após a gestação. Esta cautela se faz necessária pois, mesmo procedimentos relativamente simples podem exigir a aplicação de substâncias que, em última instância, podem prejudicar o bebê. Ou seja: a recomendação médica é que a mulher faça uma cirurgia somente caso ela mesma ou o bebê corram algum risco caso o procedimento não seja realizado.

Mesmo assim, não é uma resposta tão “preto no branco”. Alguns procedimentos são, sim, liberados, mas com ressalvas e levando em conta as características e peculiaridades de cada paciente. Todo procedimento cirúrgico envolve riscos, e estes são potencializados quando a mulher está grávida, tornando a previsibilidade do tratamento, dos medicamentos e da recuperação muito mais complicada, já que o organismo da gestante passa por profundas transformações neste período.

No máximo, um bom cirurgião plástico irá aceitar a realização de procedimentos tópicos, não invasivos e feitos com moderação. O foco é e sempre será na saúde do bebê e da gestante.

Então, a melhor época é antes da gestação?

Também não. Muitas mulheres podem pensar que se antecipar à gravidez e fazer uma cirurgia é a melhor solução. Se você pensava assim, é melhor reavaliar a sua posição. Isto porque, como vimos, uma cirurgia plástica tem efeito bastante duradouros ou, até mesmo, permanentes em alguns casos.

Por exemplo: a abdominoplastia é um procedimento bastante requisitado por pacientes que buscam reduzir medidas e tonificar a região do abdômen. Neste procedimento, os músculos internos são mudados de posição e alterados para melhorar sua sustentação, incluindo a sua costura. Não é preciso dizer que a gravidez faz justamente o contrário com a região, alargando estes músculos.

Ou seja, neste caso, o resultado da cirurgia será severamente comprometido, podendo também prejudicar o início da gestação devido à dificuldade do organismo em seguir a ordem natural da gravidez. Da mesma forma, outros procedimentos, como lipoaspiração ou lipoescultura, também podem ter sua eficácia diminuída, já que um dos efeitos colaterais da gravidez é o aumento de peso da paciente. Com isso, as áreas que tiveram medidas reduzidas e gordura removida tendem a recuperar parte dela durante a gestação.

As regiões que costumam ser mais afetadas pela gravidez são os seios, que crescem e esticam a pele durante e pós-gravidez, fazendo-os perder o aspecto firme. Além disso, tem o já falado aumento de peso. Mas, a principal área do corpo que se desgasta neste processo é o abdômen: graças à sua expansão para acomodar confortavelmente o bebê, é comum que o esticamento da pele propicie o surgimento de estrias, adquirindo também um aspecto mais flácido que pode permanecer mesmo após o nascimento. Por último, esta região também sofre com o acúmulo de gordura – e é este acúmulo de gordura que pode ser difícil de perder após a gravidez, mesmo em mulheres sem predisposição genética para engordar.

A melhor época é depois da gravidez?

Correto. Este é um consenso entre a comunidade médica pois elimina completamente os riscos de complicações antes ou durante a gestação. Muitos profissionais, inclusive, recomendam que algumas cirurgias sejam realizadas apenas quando a mulher decide não ter mais filhos, impedindo assim que os resultados sejam comprometidos por causa da gravidez e que a própria gravidez não seja prejudicada de alguma forma.

Isto não quer dizer que as cirurgias estão liberadas logo após o nascimento dos filhos. É preciso esperar pela recuperação completa do corpo, já desgastada pelo processo de gravidez. Outro fator muito importante é a amamentação: como as cirurgias plásticas exigem a aplicação de medicamentos e substâncias no corpo da mulher, elas podem, em alguns casos, prejudicar a produção de leite e até mesmo contaminá-lo. Ou seja: é fundamental que a criança esteja fora de seu processo de amamentação, para evitar maiores riscos – embora, em mulheres que já tenham realizado a operação de implantes nas mamas, as próteses de silicone sejam seguras o suficiente para não comprometer a amamentação.

Encontrar um bom cirurgião plástico faz toda a diferença

Se em uma cirurgia plástica em situações ideais, a pesquisa do cirurgião plástico é muito importante, em casos envolvendo gravidez, seja antes, durante ou depois, devem ser levadas ainda mais a sério. O primeiro passo é escolher um cirurgião que seja devidamente habilitado pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP). Veja aqui a lista de médicos habilitados. Isto é fundamental para todo e qualquer procedimento, mas, como reforço: em casos onde sejam próximas da gravidez, são fundamentais.

A gravidez é uma época intensa e maravilhosa da criação que deve ser aproveitada ao máximo. Elencar prioridades é algo que devemos praticar no dia a dia, e uma gravidez, trazer uma nova vida ao mundo, com certeza é uma das prioridades máximas da existência.

Se você estiver pensando em realizar uma operação e, mesmo assim, pensa em engravidar no futuro, ou já teve um filho e agora está em busca de uma operação, agende uma consulta com um cirurgião plástico de confiança e converse de maneira clara e transparente. O bom profissional, com certeza, dará as melhores orientações para garantir a sua saúde.

Outras Notícias