Diabetes e cirurgia plástica, cuidados que toda paciente deve ter

Diabetes e cirurgia plástica, cuidados que toda paciente deve ter. Toda cirurgia plástica tem como objetivo final a satisfação pessoal da paciente. Através de modernas técnicas de medicina estética, é possível corrigir pequenas imperfeições, tirar alguns centímetros que geram incômodo, entre outros objetivos que variam de acordo com o desejo de cada pessoa. Porém, em todos os casos, uma coisa não muda: toda cirurgia plástica gera um estresse muito grande para o corpo.

Se pacientes que estão com a saúde em dia, tem bons hábitos alimentares e praticam exercícios físicos regularmente precisam de cuidados, esta precaução é ainda maior quando a paciente possui uma doença como o diabetes. O Ministério da Saúde estima que, no Brasil, a doença atinja 8,9% das pessoas, sendo que entre os homens o índice é de 7,8% e, entre as mulheres, 9,9%. Estes números mostram um aumento de 61,8% entre 2006 e 2016, sendo tendência em todo o planeta, influenciada por fatores como envelhecimento da população, mudança de hábitos alimentares e a falta de prática de atividades físicas.

Mas então, o que fazer caso uma paciente com diabetes queira fazer uma cirurgia plástica?

Pacientes com diabetes precisam de cuidados especiais

Quando a paciente descobre que tem diabetes, seu médico antecipa todos os cuidados que ela deverá ter no decorrer da vida, em todas as esferas. Entre elas, está a cirurgia plástica. Mas, mesmo sabendo dos riscos envolvidos, às vezes, a paciente está em busca de mais qualidade de vida, algo que somente um procedimento estético pode proporcionar.

Nestes casos, é fundamental encontrar um cirurgião plástico especialista e responsável, que seja licenciado pelo Conselho Regional de Medicina (CRM) e que faça parte da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP, clique aqui e tenha acesso aos cirurgiões cadastrados). O bom profissional é aquele que irá tomar todos os cuidados pensando, em primeiro lugar, no bem-estar de cada paciente, fazendo perguntas e solicitando exames que comprovem sua aptidão para a realização dos procedimentos. Inclusive, dependendo dos resultados, a cirurgia poderá até ser negada quando o profissional não estiver convicto de que o procedimento é seguro para a paciente. Se possível, os exames médicos atestando o diabetes devem ser levados já na primeira consulta, para que o cirurgião tenha o quadro completo da paciente e possa planejar a operação com todo o cuidado que ela merece.

Em casos onde o diabetes está presente, conter a glicemia é o primeiro passo para quem deseja fazer uma cirurgia plástica. Isto porque quanto mais o índice de insulina no sangue, menores são os riscos de infecção e melhor será a cicatrização, já que uma das consequências mais perigosas do diabetes é justamente o déficit na cicatrização. O lado bom é que, seguindo as recomendações médicas, é possível ajustar a alimentação e tomar medicamentos que contribuem para este controle.

Por alterar o funcionamento natural das células do corpo, o diabetes pode prejudicar tanto a anestesia quanto a cicatrização, tão comum em praticamente toda cirurgia plástica, tornando a recuperação uma etapa ainda mais delicada, visto que a paciente deverá tomar diversos cuidados de acordo com o avanço da doença. Isto é feito para evitar que a cicatrização seja demorada demais, pois, nestes casos, é alto o risco de infecções já que os pontos demoram mais tempo para fechar por completo. Todas estas recomendações serão feitas pelo seu cirurgião antes mesmo da operação, para que você saiba como deverá se comportar antes, durante e após a sua realização.

Além disso, muita gente pensa que o diabetes ocasiona apenas a falta ou má absorção de insulina, esquecendo de um detalhe importantíssimo: a doença também compromete a circulação do sangue nos pequenos e grandes vasos sanguíneos, fazendo com que o sangue não circule corretamente pelo corpo inteiro. Na fase de recuperação, a circulação do sangue é fundamental para deixar as áreas operadas irrigadas, possibilitando assim sua recuperação plena.

Um cuidado especial em pacientes diabéticos é a hora da cirurgia. Para realizar procedimentos estéticos, muitas vezes é recomendado um tempo em jejum à paciente; porém, pacientes diabéticos costumam ter o nível de glicemia bastante reduzido caso fiquem muito tempo sem comer. Nestes casos, o melhor é marcar a cirurgia no período da manhã.

Com planejamento, sua saúde agradece

Toda paciente com diabetes pode realizar uma cirurgia, desde que siga as recomendações acima. O lado bom dos procedimentos estéticos é que eles podem ser programados para o período que for mais adequado, sendo assim, é possível se planejar com bastante antecedência especialmente para controlar a doença nos meses anteriores e posteriores à operação. Porque quando o assunto é saúde, nada melhor do que se prepara para que os resultados sejam sempre os melhores possíveis. Entre em contato aqui e saiba ainda mais.

Outras Notícias