Fibrose: o que é, como prevenir e quais as técnicas para tratar

Fazer uma cirurgia plástica é uma decisão difícil que exige conhecimento dos resultados que se quer alcançar e consciência de que, em alguns casos, existem consequências. As mais comuns são cicatrizes, que podem ser visíveis ou não. Mas a mais temida delas é a fibrose, especialmente em cirurgias de lipoaspiração.

O QUE É FIBROSE?

A fibrose é uma resposta natural do organismo durante o processo de cicatrização, seja ela decorrente de uma cirurgia plástica ou algum ferimento. Quando algum fato novo acontece com o nosso corpo, não temos a capacidade de regenerar os tecidos, mas sim de cicatrizá-los. Sendo assim, após a realização de uma cirurgia poderão aparecer pequenas ondulações e irregularidades próximo à região tratada, com grau variável dependendo do tipo de cirurgia realizada.

É importante lembrar que a fibrose é algo normal em todo processo de cicatrização, mas somente em seu início. Ela não é e nem deve ser considerada uma parte integral do resultado final. Nos primeiros meses, é comum perceber a pele um pouco mais repuxada ou endurecida, porém à medida que o tempo passa, a fibrose vai suavizando. Porém, quando ela é mais persistente, pode se tornar permanente, enrijecendo a pele e causando ondulações que, caso não sejam tratadas, causarão incômodos estéticos e, às vezes, até mesmo dolorosos.

COMO PREVENIR ?

Após a realização de qualquer procedimento cirúrgico, independentemente do nível de complexidade, o seu cirurgião plástico irá passar algumas recomendações, que devem ser seguidas à risca para o sucesso da recuperação. Quando o assunto é prevenir o surgimento de fibroses, elas são ainda mais importantes:

  • Alimentação adequada: alimentos ricos em ômega 3 e proteínas ajudam o corpo a realizar o processo de cicatrização, prevenindo o surgimento da fibrose. Evitar alimentos industrializados nos primeiros dias após uma cirurgia também é fundamental;
  • Exposição solar: o sol é um vilão após a realização de um procedimento cirúrgico, pois a região estará mais sensível e menos protegida contra seus raios. Caso esta orientação não seja seguida, poderão surgir manchas locais, além de correr o risco de desenvolver algum tipo de fibrose;
  • Fumo e álcool: substâncias como o tabaco e o álcool são prejudiciais tanto no pré como no pós-operatório, influenciando negativamente o processo de cicatrização.
  • Malhas compressivas: em diversas cirurgias, o uso de malhas compressivas contribui para o bom processo de cicatrização, além de proteger a região de fatores externos;
  • Massagens: dependendo da região tratada, massagens contribuem para o retorno do fluxo sanguíneo em seu estado normal, além de contribuir para eliminar a retenção de líquidos e diminuir inchaços e hematomas;
  • Repouso: quando o seu médico orientar o repouso, repouse. É um indício de que aquela região tratada não deve ser forçada, pois alguns movimentos podem atrapalhar a boa recuperação e contribuir para o surgimento de fibroses.

  COMO TRATAR A FIBROSE?

Caso a fibrose já tenha se desenvolvido, é possível recorrer a diversas técnicas e tratamentos para a sua recuperação e eliminação, devolvendo a aparência natural da pele:

  • Bandagens elásticas: similares aos que os atletas utilizam, servem para limitar os movimentos da região, impedindo o atrito e aumentando o nível de repouso local, fundamental para recuperar a área;
  • Carboxiterapia: procedimento que promove a dilatação dos vasos sanguíneos, fazendo os nutrientes circularem com mais facilidade;
  • Drenagem linfática: técnica de terapia corporal que facilita a circulação da linfa, líquido orgânico originado do sangue, que circula nos vasos linfáticos e transporta glóbulos brancos, responsáveis pelo nosso sistema imunológico, que atuam na recuperação das fibroses;
  • Endermologia: massagem que utiliza um aparelho para tratar o tecido conjuntivo, auxiliando a sua maleabilidade e promovendo o nivelamento do relevo da pele;
  • Radiofrequência: atua amolecendo o tecido colágeno e absorvendo o tecido fibroso, tornando o colágeno mais flexível e fácil de ser reabsorvido pelo organismo;
  • Ultrassom: reorienta as fibras da região, deixando-as mais elásticas, amolecendo a área com fibrose. 

Em todos os casos, seu cirurgião plástico é o profissional mais indicado para recomendar a melhor técnica para o tratamento quando uma fibrose se desenvolver. Clique aqui e veja a lista de cirurgiões devidamente habilitados pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP).

Outras Notícias