Orientações para cirurgias plásticas em adolescentes e jovens.

Fazer uma cirurgia plástica é uma decisão muito delicada, pois envolve alterar, modificar ou reconstruir uma parte do corpo que não está de acordo com o que desejamos ou consideramos esteticamente agradável. Porém, a seriedade do procedimento requer maturidade, responsabilidade e consciência sobre o resultado que se deseja e, principalmente, o porquê de realizá-lo. Por esse motivo, autorizar um adolescente para realizar um procedimento requer uma série de cuidados. Primeiro porque os pais ou responsáveis do jovem devem avaliar, em casa ou junto a um cirurgião plástico, a motivação para se submeter a uma cirurgia, além das suas condições físicas e psicológicas para realizar o procedimento.

Os motivos devem ser claros

De maneira geral, o objetivo do adolescente é bem diferente do que se costuma ouvir de adultos em consultórios. Enquanto pessoas mais velhas buscam um resultado que os diferenciem, pessoas mais jovens buscam semelhanças para tentar se inserir socialmente em determinados grupos, facilitando a sua aceitação. Porém, muitas vezes esta busca é refletida em uma persona ideal, um modelo a ser atingido, e na maioria das vezes esta não é a melhor motivação para fazer uma cirurgia.

Ajustar uma parte do corpo é compreensível, pois esta é uma fase de grandes transformações onde aceitar as mudanças faz parte do processo de amadurecimento, mas quando este ajuste vira uma obsessão, é preciso pensar com cuidado nos próximos passos. Embora a satisfação com o próprio corpo eleve a autoestima e facilite o convívio social, dando ao jovem um upgrade em sua confiança e deixando para trás sentimentos como a exclusão, nem todo mundo está apto a realizar um procedimento plástico, principalmente porque a adolescência é uma fase onde se busca o resultado imediato, a satisfação momentânea acima de tudo. Por isso é que existem alguns cuidados e pré-requisitos para fazer uma cirurgia.

O que um adolescente precisa para fazer uma cirurgia?

Antes de tudo, é preciso conversar no círculo familiar e também com um cirurgião plástico especialista, que seja licenciado pelo Conselho Regional de Medicina (CRM) e que faça parte da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP, clique aqui e tenha acesso aos cirurgiões cadastrados). Ele poderá auxiliar o jovem e a família quanto ao melhor método de tratamento.

Além desta conversa, é preciso:

  • Comprovar maturidade emocional, física e mental, do adolescente realizadas através de exames com especialistas das mais diferentes áreas;
  • Ter o desejo próprio de realizar a cirurgia, expressando claramente esta vontade;
  • Entender que uma cirurgia pode trazer benefícios, mas também possui seus riscos;
  • Ter expectativas realistas quanto ao resultado que se pretende alcançar.
  • Possuir clareza sobre os limites da cirurgia plástica e das mudanças que ela pode gerar;
  • Autorização dos pais.

Ainda assim, lembre-se de consultar um cirurgião plástico devidamente autorizado e capacitado. Ele vai garantir se o adolescente esta realmente apto para realizar qualquer cirurgia plástica e que esta é de fato a melhor solução para seu caso.

Outras Notícias