Otoplastia, o que é, para que serve? Tem idade mínima para fazer?

A aparência diz muito sobre quem somos e também como nos sentimos. Ter um rosto bonito, um corpo proporcional, pode fazer bastante diferença para a autoestima. Por outro lado, imperfeições são facilmente percebidas e são capazes de gerar problemas e virar motivo de brincadeiras de mau gosto. Um destes problemas é o desenvolvimento anormal das orelhas. Mas existe um tratamento: a cirurgia da orelha, ou otoplastia.

O que é a otoplastia

A otoplastia é popularmente conhecida como cirurgia da orelha, e tem como objetivo moldar uma forma mais natural às orelhas muito grandes (condição rara chamada macrotia) ou orelhas pontudas e salientes, geralmente conhecidas como “de abano”.  Através desta intervenção, é possível garantir uma forma mais natural às orelhas, dando equilíbrio e proporção para o rosto e a face.

Com estes resultados, a otoplastia promove não só a aparência física, mas tem papel fundamental no aumento da autoestima do paciente, visto que as piadas e comentários sobre o tamanho e a forma das orelhas podem causar transtornos psicológicos graves.

Para se submeter a uma otoplastia, a idade mínima é de seis anos, pois esta é a fase em que a cartilagem da orelha já está praticamente toda desenvolvida. Porém, isto não é uma regra, somente um profissional capacitado e habilitado poderá dar o veredito de quando deve ser feita a operação.

Que tipos de problemas a otoplastia corrige?

Com a cirurgia da orelha, é possível:

  • Corrigir orelhas de abano: orelhas projetadas ou abertas, através da correção do ângulo da orelha e sua posição;
  • Diminuir o tamanho das orelhas: adequando-as à anatomia do rosto, melhorando a forma e proporcionando assim mais harmonia;
  • Corrigir orelhas com má formação: em alguns casos, deformidades podem ser provocadas por acidentes ou até acompanhar o paciente desde o nascimento, mas com técnicas especializadas, é possível restaurar este problema.

Como é o procedimento?

A anestesia para a realização da otoplastia pode ser local ou geral, o que sempre dependerá da avaliação do cirurgião. O procedimento em si dura cerca de 1h, já o tempo total da intervenção costuma variar entre 3h a até 12h. Na otoplastia, existe a possibilidade de criar ou ampliar o anti-hélice, apenas dentro da borda da orelha, ou de reduzir a cartilagem da concha – a concavidade maior e mais profunda do ouvido externo.

As incisões em uma otoplastia são realizadas principalmente atrás da orelha. Se for o caso de incisões na parte frontal, as mesmas são feitas nas dobras, para que fiquem escondidas. Internamente, uma sutura não removível é utilizada para criar e fixar a cartilagem que foi moldada durante as incisões. Pontos externos são feitos para o fechamento das incisões.

A otoplastia garantirá resultados praticamente imediatos, assim que os curativos utilizados para sustentar o novo formato da orelha sejam removidos. É fundamental que as ataduras utilizadas no pós-operatório, que geralmente proporcionam sensação de coceira, não sejam removidas. Caso contrário, parte da correção pode ser comprometida, o que resultará em uma nova cirurgia.

Seguir todas as recomendações médicas após se submeter ao procedimento fará com que a recuperação seja dentro do esperado, garantindo os resultados satisfatórios. É possível retomar atividades como ir à escola ou ao trabalho dentro de dois dias, desde que utilizando uma faixa modeladora por, no mínimo, um mês. Já a prática de esportes de contato só deve acontecer após dois meses.

Recomendações importantes

Antes de cogitar a possibilidade de se submeter a uma cirurgia da orelha, ou qualquer outra cirurgia plástica para fins de estética ou saúde, é fundamental buscar um profissional licenciado pelo conselho de medicina local e que também faça parte da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, a SBCP, para qualquer procedimento que venha a ser realizado. Clique aqui e tenha acesso aos cirurgiões cadastrados.

Pesquise minuciosamente sobre o cirurgião escolhido e, ao iniciar o processo que culminará com a cirurgia, não omita nenhuma informação sobre seu histórico médico, além de elucidar todas as dúvidas sobre os riscos e o alcance do procedimento em questão. Tenha em mente que toda e qualquer dúvida é importante. Acesse e conheça os passos para uma cirurgia plástica segura.

Outras Notícias