A Origem da Cirurgia Plástica

Em grego, plastikos significa moldar, modelar. Plástica é a ciência que manipula e movimenta tecidos do corpo por motivos reconstrutivos ou estéticos, de acordo com um determinado fim.

Os primeiros registros de cirurgias plásticas datam do século VI, onde hoje está situada a Índia. Muitos dos procedimentos comumente realizados hoje em dia eram descritos em textos conhecidos como shushruta samhita, como a técnica que usa pele da testa para reconstrução nasal. Este procedimento é bastante utilizado por pessoas que perderam uma parte ou a totalidade do nariz devido ao câncer ou traumas.

A cirurgia plástica moderna, como conhecemos hoje, surgiu como resposta aos traumas devastadores causados pela I Guerra Mundial, que exigiu soluções inovadoras para recuperar os feridos em combate. Sir Harold Gilles percebeu a importância de fechar feridas com tecidos de outras partes do corpo para restaurar funções corporais ou com fim estético. Ferimentos faciais eram fechados com pele do braço ou das pernas, por exemplo.

Sir Gilles, juntamente com seu sobrinho Archiband McIndoe, refinou estas técnicas em soldados feridos da II Guerra Mundial, principalmente para cirurgias plásticas reconstrutivas. Após perceber que poderiam manipular tecidos para curar feridas e restaurar a aparência normal dos feridos, os cirurgiões passaram a utilizar estas técnicas em pessoas normais, para buscar uma melhor aparência.

Inicialmente, o procedimento era caro e reservado para as elites, principalmente rinoplastias e face liftings. Hoje, é possível manipular praticamente qualquer parte do corpo em busca de melhorias, e os preços estão cada vez mais acessíveis.

Fonte: SBCP e G1

Imagem: Débora Pereira

Outras Notícias